Mulheres que inspiram

8 de março de 2018

Nome completo: Rafaela Adriana Santos Vieira

Tempo na empresa: 8 anos e 8 meses

 Cargo: Líder Técnica

Trajetória profissional/carreira dentro e fora da Squadra:  

  • Bacharel em Sistemas de Informação e Especialista em Arquitetura de Software Distribuído.
  • Durante a graduação, fui responsável por monitorias de Algoritmos e Estrutura de Dados II e III.
  • Quando estava no último período de graduação, fui aprovada e conquistei 1 das 3 vagas disponibilizadas pela Squadra, em parceria com a faculdade, para iniciar um curso de Desenvolvimento Java, na época ministrado por Adriano Tavares. Após a realização deste curso, fui admitida como trainee.
  • Depois de 6 meses iniciei como Analista Desenvolvedora e após 1 ano comecei a atuar também como Líder Técnica.
  • Durante este período na Squadra, tive a oportunidade de trabalhar em projetos como Embratur, CVM, Oi, Vivo, SAAE.
  • Desde 2016 estou trabalhando no produto da Squadra, o antigo Commerce e novo Unicompras.

 

Por que a área de tecnologia?

Sou do interior, nasci em uma cidade pequena de apenas 5 mil habitantes e tecnologia naquela época não estava tão próxima de nós. Comecei nesta área por ter facilidade com a área de exatas, matemática e lógica de programação.

Hoje o pensamento já é bem diferente, acredito que a tecnologia pode mudar vidas.

 

Teve alguém que o inspirou na sua trajetória? Por que essa pessoa (se sim)?

Sim. Aliás várias. Difícil citar apenas uma. Helton Torres, profissional de extrema competência, no qual o comprometimento e simplicidade se destacam em suas maiores qualidades.

 

Você percebe desafios específicos para as mulheres no mercado?

As mulheres, em sua maioria ainda são as principais responsáveis pelas atividades domésticas e cuidados com a família, isso nos traz um grande desafio que é o equilíbrio entre a vida pessoal e a carreira.

 

Como percebe a evolução e lidou com o assunto?

Sempre lidei com naturalidade e nunca me coloquei em posição de inferioridade, muito pelo contrário, sabia que meu esforço deveria ser dobrado.

 

Que conselhos daria para as mulheres que já estão na carreira e as que estão iniciando?

Meninas, nunca desistam de seus sonhos e de seus desejos pessoais e profissionais.

Durante toda a minha graduação eu já era casada e tinha filho pequeno. Quando fiz o curso na Squadra, minha jornada era pesada. Saía de Ouro Branco para BH às 05h, chegava novamente em Ouro Branco às 17h30 e às 18h o ônibus já estava passando para ir para Conselheiro Lafaiete para a faculdade. Chegava em casa após às 23h. Pensei várias vezes em desistir, sentava no último banco do ônibus e ia chorando para a faculdade, pois meu filho tinha 5 anos e eu praticamente não o via. Porém, eu acreditava que aquele curso poderia mudar a nossa vida.

Por isso desejo a vocês muita persistência e coragem. Grande beijo.

 

Nome completo: Anna Marques

Tempo na empresa: 1 ano e 6 meses

Cargo: Analista de Requisitos

Trajetória profissional/carreira dentro e fora da Squadra:

Comecei minha carreira com 16 anos idade quando iniciei o ensino técnico e logo em seguida meu primeiro estágio na área de tecnologia. No início, não sabia direito o que estava fazendo ali, pois até então jamais tinha pensado na área como profissão. Entretanto, na época, tive um incentivo muito grande de professores e familiares para participar de projetos relacionados à competições de tecnologia e logo me apaixonei com o mundo de possibilidades que estava ali ao meu alcance.

Iniciei o curso de Ciência da Computação e passei por áreas como suporte, desenvolvimento, testes e hoje, estou aqui na Squadra onde atualmente trabalho como Analista de Requisitos.

 

Por que a área de tecnologia?

Sempre fui uma pessoa muito curiosa, questionadora e que gosta de desafios, e tecnologia é isto, é ter curiosidade de entender e solucionar um problema e se desafiar o tempo todo, pois é incrível como isso nos proporciona um aprendizado e crescimento enorme.

 

Teve alguém que o inspirou na sua trajetória?

Tive excelentes professores durante minha trajetória, mas um em especifico foi bastante inspirador. Foi o professor mais sábio, paciente, inteligente e atencioso que já tive e que sempre me incentivou e acreditou no meu potencial.

 

Você percebe desafios específicos para as mulheres no mercado? Certamente, e isso fica claro quando você entra em qualquer ambiente relacionado à tecnologia (faculdade, trabalho) onde a maioria são homens.

Pelo fato de ainda sermos minoria temos constantemente que provar capacidade naquilo que estamos propondo/fazendo.

 

Como percebe a evolução e lidou com o assunto?  

Acredito que nunca se discutiu tanto sobre inclusão e diversidade, é um assunto recente e que todos estão aprendendo ou querendo aprender um pouco sobre e percebo claramente a evolução com o próprio engajamento das empresas. Esse é um momento incrível e nós mulheres devemos usá-lo a nosso favor.

 

Que conselhos daria para as mulheres que já estão na carreira e as que estão iniciando? 

Para as que já estão na carreira aconselho a levarem consigo a palavra “Resiliência” e para as que estão iniciando sempre digo que trabalhar com tecnologia pode abrir um número infinito de possibilidades.

 

Nome completo:

Aline Cristina Soares da Silva

Tempo na empresa: 1 ano

Cargo: Gerente de Relacionamento

Trajetória profissional/carreira dentro e fora da Squadra:

Antes da Squadra: trabalhei durante 18 anos em uma grande companhia de TI, praticamente toda a minha vida profissional. Iniciei como analista documentadora e sempre tive curiosidade e vontade de aprender mais e mais… Foi neste momento que descobri que realmente queria ficar e seguir o caminho da TI. Como não me formei na área, procurei fazer Pós Graduação e MBA na área, fiz vários cursos técnicos. Rapidamente tive uma promoção na empresa, tive oportunidade de novos conhecimentos e tive um investimento por parte da empresa. Um ano após a primeira promoção, tive outra, desta vez como gerente de projetos… Foram 5 anos atuando como gerente de projetos voltado para o governo. Através das relações interpessoais, um belo dia o dono da empresa à época, ouviu de um cliente um elogio sobre meu trabalho e a partir daí galguei outros espaços dentro da empresa… Enfim foram 18 anos em uma companhia, passei por várias fases e etapas, várias promoções e cargos até que um dia me senti como se não tivesse mais nada a agregar para a empresa bem como a empresa também já tinha me oferecido e me dado todas as possíveis oportunidades. Me vi sem novos desafios e novos rumos… Foi neste período que tomei a difícil decisão de ir em busca do novo, algo que pudesse me acrescentar, levar minha experiência e aprender novas. Foi quando surgiu a oportunidade de fazer parte do time Squadra. Atualmente estou na ANTT como gerente de relacionamentos e preposta dos contratos. São 4 contratos, com uma equipe de 64 pessoas e aproximadamente 38 Projetos. Estou muito feliz com o desafio e com a oportunidade que me foi dada.

 

Por que a área de tecnologia?

Pelos desafios e inovações constantes. Não existe rotina em TI .

 

Teve alguém que o inspirou na sua trajetória? Por que essa pessoa (se sim)? Quem me inspirou: meu pai. Nunca foi da área de Tecnologia, teve formação em outra área e seguiu carreira militar. Após entrar para a reserva viu a oportunidade de um produto desenvolvido por um tio e meu irmão, enxergou o potencial e resolveu abrir e administrar uma empresa de TI. Anos depois vieram outros produtos, a empresa cresceu. Atualmente foi vendida a uma multinacional.

 

Você percebe desafios específicos para as mulheres no mercado?

Sempre ouvimos sobre equidade de gênero, diferença salarial e outros desafios que a mulher vem enfrentando para assumir seu papel e se inserir em igualdade no mercado. Sinceramente acho que hoje está bastante superado, a mão de obra feminina a cada dia vem ganhando força no mercado de trabalho. Atualmente encontrarmos leis que apontam o direito da mulher, na Constituição Federal Brasileira.

 

Como percebe a evolução e lidou com o assunto? A evolução é perceptível, pois atualmente temos grandes executivas frente às grandes empresas. Recentemente a revista Forbes divulgou uma lista com as mulheres mais poderosas no mundo dos negócios. Estas mulheres são líderes de vários segmentos, exercendo cargos de CEO, COO, Diretora, Vice-presidente. Isto nos mostra uma grande evolução comparando com outros tempos.  Na verdade, eu não enfrentei muito este tipo de dificuldade, ou se passei, realmente passei por cima sem nem perceber. Sempre fui determinada e nunca vi estes fatos como geradores de problemas e sim como um crescimento pessoal através dos desafios e das dificuldades.

 

Que conselhos daria para as mulheres que já estão na carreira e as que estão iniciando?

As que estão na carreira, que continuem com seus propósitos, sempre em busca de algo que lhe permita a motivação, ter sempre um diferencial. E, para as que estão ingressando, que não se intimidem com alguns desafios e obstáculos que encontrarem, ser determinada, confiar no potencial que tem, sempre ter uma boa saída para as circunstâncias mais difíceis. E quando digo saída, significa ter uma fuga emocional que lhe permita passar por todas as dificuldades do assunto em questão sem perceber.

E acima de tudo, estar preparada, firme em seus propósitos e encarar e aproveitar todas as oportunidades!

 

As homenagens não param por aí: editamos um vídeo no qual nossas colaboradores nos contaram em uma palavra: do que as mulheres são feitas?

Facebooklinkedin